Shimano Fest revela modelos inovadores de negócios

O mercado da bicicleta está sempre em transformação e o Shimano Fest apresenta modelos de negócio criativos e inovadores.

Como a Sportix, primeira franquia de bike shop no Brasil. “Nossa proposta é profissionalizar o varejo. Existe uma grande oportunidade nas lojas, mas em alguns momentos falta conhecimento. A maior parte dos vendedores não consegue atender bem os consumidores quando se exige um pouco mais de detalhes sobre produtos”, explica o fundador da empresa, Luiz Fernando Lucas.

O empresário conta que a ideia surgiu em 2007 e saiu do papel em 2013, com a primeira loja aberta em São José do Rio Preto. Dois anos depois, começou a expansão das franquias. “Atualmente temos seis pontos de venda, com o objetivo de chegar a 30 nos próximos quatro anos”, revela.

Para atingir esse número, Lucas aposta nos diferenciais que seu modelo comercial agrega, como bike café, bike fitting, bike hotel e até alguns produtos de marca própria, como vestuário.

Estande da Sportix, onde estão sendo apresentadas as novidades do negócio

Bikes modificadas são alternativa

Além de lojas focadas numa experiência diferenciada aos consumidores, outra novidade no mundo das bikes é a utilização de modelos para vender produtos ou serviços.

Um exemplo é o Bike Café, criado por Murilo Casagrande e Cadu Ronca. O negócio consiste num triciclo adaptado para preparar café na hora. “Nós temos aqui quatro tipos de preparo diferentes. Para quem quiser levar para casa, oferecemos também pacotes para venda”, explica Casagrande.

A origem da food bike, como é chamado esse tipo de equipamento, é o projeto Aromeiazero, organização que promove qualidade de vida e inovação social a partir da bicicleta e ocupação das ruas.

“Começamos a produzir nossa marca de café, mas é muito difícil colocar à venda em supermercados. Como alternativa, preparamos a food bike e passamos a oferecer nosso produto, revertendo 10% da renda para o Aromeiazero”, completa o empreendedor.

O Bike Café está no espaço Mobility e os visitantes podem tomar um feito na hora

Outra iniciativa que enxergou na bicicleta um meio para inovar seu produto é o Bike Ybá, de Larisa Rahmilevitz. O equipamento foi adaptado para os pedais girarem as lâminas de um liquidificador e produzirem um suco. Depois de trabalhar em uma empresa na Austrália que oferecia serviço parecido, a empresária chegou ao Brasil querendo adaptar a ideia para nosso país.

“O planejamento da bicicleta e do negócio durou cerca de um ano, até lançarmos o primeiro modelo, em junho de 2016”, conta a fundadora da empresa. Durante os 12 meses seguintes a ideia foi testada e um novo design para a bicicleta foi desenvolvido.

Agora, com uma bike nova e o negócio bem estruturado, o Bike Ybá procura expansão. “Com o novo modelo de bicicleta pronto, agora a gente coloca ela à venda. Queremos que o Brasil inteiro tenha a experiência de pedalar o próprio suco”, finaliza Rahmilevitz.

No Bike Ybá você pedala e prepara um suco ao mesmo tempo

Share this post